Número total de visualizações de página

quarta-feira, 24 de agosto de 2011

Movimento popular de massas e a infiltração partidária


O movimento de massas tem como característica única e desejável ser espontâneo e livre...livre de amarras passadas...amarras futuras...amarras ideológico-partidárias. Em casos específicos o movimento social deve ser dirigido por estruturas não partidárias e por estruturas ligadas à sociedades 8em última análise pela própria sociedade). Acompanho com muita atenção os movimentos surgidos no último ano em Portugal, mais propriamente em Lisboa. O 12 de Março como movimento de massas e acompanhei as "acampadas" em Lisboa como fenómeno único, autentica escola social. E sobre este último e o seu seguimento me irei debruçar.
Por volta de 19 de maio em solidariedade com o que se passava em Espanha tivemos vários activistas a prestar a sua solidariedade com o que se passava no país vizinho, situação que continuou com mais ou com menos pessoas permanentemente durante mais de mês e meio, sendo então mais intermitentemente feitas as chamadas assembleias populares. Durante este tempo assisti a várias pessoas com as melhores intenções de fazer desenvolver o que se estava a criar, mas assisti verdadeiramente incomodado com as tentativas de controlo por parte de estruturas partidárias e de movimentos anarquistas. Digo tentativas porque nunca obtiveram frutos com essas tentativas, felizmente o movimento manteve-se heterogéneo, mas devido a essas insistentes tentativas o afastamento popular foi visível. Agora estou a acompanhar de perto as movimentações para criar algo verdadeiramente popular, algo verdadeiramente único provavelmente feito em todo o mundo desde que foi inventada a palavra democracia. O 15 de Outubro terá intenções únicas de uma democracia participativa, ao contrário da actual democracia representativa que não representa quase ninguém a não ser interesses que não são os do povo que os elegeu. Neste movimento planeio estar atento a todas as movimentações de estruturas partidárias, controlos ideológicos por parte de associações partidárias e controlos desta acção inédita por qualquer tipo de associação seja ela partidária, social, anti esta ou aquela coisa. Porque se há uma coisa que eu não tolero é a subversão de um movimento, a subversão de uma ideia em prol de qualquer estrutura venha ela de qualquer espectro partidário, não distinguirei tentativas de controlo ou subversão pela direita ou tentativas de controlo e subversão pela esquerda e todos podem estar certos, estarei na primeira linha na guerra contra essas tentativas de controlo!!

Dia 15 de Outubro Sai à Rua!!!

Sem comentários:

Enviar um comentário