Número total de visualizações de página

quinta-feira, 26 de dezembro de 2013

Um conto de Natal por Pedro Passos Coelho

Ontem foi dia 25 de Dezembro e dia da tradicional mensagem de Natal do primeiro-ministro. Essa mesma mensagem de natal, momento habitual de propaganda de qualquer governo, ontem converteu-se num verdadeiro conto de natal inventado por Pedro Passos Coelho. Conto inventado porquê?
Então vejamos, Passos Coelho fala em querer acabar o programa sem perturbações, mas cria perturbações todos os dias, só em 2012 (falta dados de 2013) emigraram mais de 120 000 pessoas, número da ordem dos anos 60 e mais do que o número de nascimentos em 2012. Quando Passos Coelho assumiu o governo ( e o programa da troika assinado por PS, PSD e CDS) o desemprego era de 12,6% e agora em Novembro é de 15,7%, isto claro sem contar com quem já se increve ou já não está inscrito ou sem contar até com os que vão para formação forçada. Pegando no número da emigração de 2012 (120 000) passa a ser no mínimo curioso o número de empregos criados que Passos Coelho ontem disse. Ontem, Passos Coelho disse "criámos 120 000 postos de trabalho". O número não é meramente ao calhas, é o número oficial da emigração. Para Passos Coelho cada pessoa que emigra (quem não conhece alguém que tenha sido obrigado a emigrar?) é um posto de trabalho criado e razão para saltar de alegria. Nessa mesma mensagem Passos Coelho diz que "comecámos a vergar a dívida". Qual dívida? A que em 2011 estava nos 108% e que iniciou 2013 nos 124%? Em relação a vergar a dívida estamos conversados. Vergar a dívida não se vê nada, mas os ordenados vergaram isso de certeza. Por fim Passos Coelho também diz que tudo o que foi ganho até aqui pode ser perdido. O que foi ganho? Mais desemprego? Mais suicídios? Mais emigração? Aumento da pobreza? Penso que se pode dizer que esses "ganhos" são dispensáveis. E quanto ao "sem perturbações"....mais uma vez estará enganado..pois as perturbações acontecem todos os dias e é um acto de resistência que deve existir e continuar com mais força!

segunda-feira, 23 de dezembro de 2013

E afinal porque não havemos de ter uma convergência dos valores das pensões?

Na semana que passou o tribunal constitucional chumbou uma lei do governo que iria convergir os valores das pensões do regime público, com as do regime privado. Esta convergência iria "convergir" (baixar) as reformas do sector público (média de 1263,51€) com as do sector privado (média de 481,69€). Portanto, mais uma vez o governo de Pedro Passos Coelho e de Paulo Portas quer entrar no rumo do empobrecimento, desta feita aos reformados que trabalharam a vida toda, ao contrário de muita gente que tem grandes reformas e o seu tempo de trabalho é ínfimo quando comparado com os restantes trabalhadores.
Até se pode ser favorável a uma convergência das pensões, por assim dizer. Uma convergência que convirja a média do privado, que é de 481,69€ para a média do público 1263,51€. Sim! Porque convergir não tem de ser diminuir as reformas a quem trabalhou a vida toda. Convergir para aumentar as reformas a quem trabalhou a vida toda! Por isso, convergência das pensões sim, mas só se for convergir para valor superiores, isto é, para aumentar as pensões, nunca para as reduzir!

terça-feira, 17 de dezembro de 2013

"Os Políticos deviam ganhar o mesmo que ganham no privado"

Ao que parece a estar na Assembleia da República ou no Governo é um "emprego" precário, em que se recebe pouco para o extraordinário trabalho que se faz. Pelo menos deve ser o pensamento de Hugo Soares, Líder da JSD e Vice-presidente do grupo parlamentar do PSD.

"Vir para o governo ganhar 3500 euros com a precariedade de estar no governo e de, de um momento para o outro, poder ir embora?"

Podemos a partir daqui concluir que se os membros do governo com salários destes vivem na precariedade...que dizer dos mais de 500 000 (e os números não estão actualizados) de pessoas que recebem 475 euros de ordenado.

Além da precariedade que os membros do governo ou da Assembleia da República sofrem, segundo este deputado do PSD, o valor de 3500 euros é pouco e por isso deveriam ganhar mais. Quanto mais perguntamos nós? 

"Haveria um ordenado-base e quem quisesse ganhar mais deveria ganhar a média do que ganhou nos últimos cinco anos no privado."

Portanto, podemos concluir que haveria a possibilidade de haver pessoas como o António Mexia, que se viessem para o governo iriam ganhar mais de 4 milhões de euros por ano pagos pelo erário público!

Ao mesmo tempo que o deputado Hugo Soares defende isto (salário mais elevados e sem limite máximo), também é favorável a que a saúde e a educação sejam pagas e não um direito dos mais básicos!
Eu até diria para ele sair e ir para o privado que faria melhor figura...mas não o consigo dizer, pois no privado só faria asneira de certeza e para o lugar dele iria outro igual. Portanto o que resta é expulsar (de qualquer forma) estes "senhores" do poleiro que ocupam para tirarem as mãos do dinheiro que é de todos os que trabalham!




quinta-feira, 12 de dezembro de 2013

PSP gasta dinheiros públicos em material que não tem autorização de usar

Em tempos em que se fala tanto de austeridade, em que se sente a falta no bolso do dinheiro que nos tiram, a PSP vai comprar 2 "drones" (aviões de aero modelismo), motas de água e até um barco! Embora por lei não possam ter aquilo...nada impediu a PSP e o ministério da Administração interna de gastar 300 000 euros (mais de 600 salários mínimos para se ter uma noção do que é. Dava ordenado para quase 50 pessoas num ano, embora mínimo) em alguns brinquedos. O problema já seria grave se fosse apenas este, a utilização de dinheiros públicos para actividades que não podem ser realizadas, portanto seria atirar para a fogueira dinheiro. Mas o problema é maior, pois embora não haja autorização legal, há provas de utilização destes equipamentos. Seja em vídeos:


Ou até no site da própria empresa fornecedora dos aviões não tripulados (conhecidos  por "drones"):
"Now used by the Portuguese police, the hand-launched design has a 2h flight endurance and an operating range of 10.8nm (20km). “It’s a very intuitive system, and can be controlled from an iPad, PC laptop or Android phone,” says Whitehouse. Applications range from traffic and infrastructure monitoring to supporting disaster relief activities, with its 5kg (11lb) maximum take-off weight including a payload of 2kg." ( http://www.flightglobal.com/news/articles/dubai-tekever-courts-local-partner-for-uav-production-393370/).

Além da utilização ILEGAL de dinheiros públicos, o que já seria grave, isto vai servir para instituir uma vigilância generalizada sobre a população. 
A quem rouba o país, a quem roubou o BPN, a todos os governantes que endividaram o país não vigiam eles, mas a população que trabalha todos os dias e paga impostos já vigiam...
Esta é uma situação que agride o direito à liberdade e à privacidade e portanto é direito de todos de por todos os meios repôr a normalidade e portanto de acabar com estas aeronaves...

Artigo 21.º
Direito de resistência
Todos têm o direito de resistir a qualquer ordem que ofenda os seus direitos, liberdades e garantias e de repelir pela força qualquer agressão, quando não seja possível recorrer à autoridade pública.












terça-feira, 10 de dezembro de 2013

Eu vou almoçar primeiro terá dito Cavaco Silva

"Eu vou almoçar primeiro!". Esta deve ter sido a frase dita pelo Presidente da República hoje antes das cerimónias fúnebres de Nelson Mandela. Mais uma vez, um responsável pela diplomacia externa chega gravemente atrasado a alguma cerimónia. Depois do atraso de duas horas de Paulo Portas em Macau, temos agora um atraso também de duas horas de Cavaco Silva! A cerimónia começou às 9h (de Lisboa 11h lá) e Cavaco Silva chegou era 11h15 (13h15 lá) como foi anunciado pela comunicação social. Aníbal cavaco Silva deve mesmo ter dito "eu vou almoçar primeiro", o que  envergonha pela segunda vez a diplomacia e por inerência todo o povo Português. Pois monta um rótulo de não pontuais, atrasados com uma média de duas horas a tudo o qe venha de Portugal. Eu até diria que espero que ele se retrate disto, mas na verdade não espero que se retrate, pois o actual Presidente da República nunca se engana e raramente tem dúvidas!

sexta-feira, 6 de dezembro de 2013

Dívidas das autarquias

Desde as últimas eleições autárquicas em Setembro, que regularmente se vê noticias sobre autarquias endividadas ou em risco de falência. Seja Loures, Gaia ,o Alandroal ou ainda Poiares, mas muitas outras haverá. O que leva a questionar quais serão as reais dívidas das câmaras pelo país fora (são mais de 300 câmaras) e de quem é a responsabilidade por elas. Pois não vamos novamente para a conversa do "andámos a viver acima das nossas possibilidades". Alguém andou é certo a viver em cima das possibilidades dos contribuintes! Seja com viagens a destinos exóticos, seja com negociatas imobiliárias, seja numa outra qualquer modalidade. O que importa saber neste momento são várias coisas:

  1. Qual a real dívida de todas as câmaras (pelo que se impõe uma auditoria!)
  2. A quem é que se imputa a responsabilidade dessas dívidas (gestores públicos, presidentes de câmara e de junta, etc...
A questão 1 é especialmente importante para se conseguir proceder para as seguintes. Pois sem se fazer uma auditoria independente às contas das câmaras e juntas (todas elas! Sejam governadas por CDS, PSD, PS,PCP,BE ou Independentes), não é possível saber o que realmente existe em termos de dívida. Enquanto decorre essa auditoria (no menor tempo possível) não se deve efectuar nenhum pagamento de dívidas que inclusivé podem ser resultado de situações criminais e portanto ilegais. Após essa auditoria podemos passar então para a questão 2 onde importa saber (e tornar público) quem foram os responsáveis pela criação das dívidas, se foram a favor das populações ou resultantes de actos de corrupção, roubo de fundos públicos ou negócios ilegais. Caso não tenham sido a favor das populações há que imputar a responsabilidade a quem devida.  Deverá ser exigida a prisão de quem fez essa dívida (senso comum, quem rouba milhares de pessoas não vai ficar à solta...é um criminoso perigoso) e o confisco dos seus bens (sejam imobiliários,seja dinheiro) para cobrir essas dívidas. O que não se pode fazer é sufocar populações inteiras, tirar serviços por uma dívida que não fizeram e não foram ouvidas para esses gastos.
Sem isto, vamos continuar na lenga-lenga do costume do "andámos a viver acima das nossas possibilidades", "temos de apertar o cinto", "temos de empobrecer", que os sucessivos governos nos têm habituado.

terça-feira, 3 de dezembro de 2013

Empurrar com a barriga para a frente

O IGCP (Instituto de Gestão do Crédito Público) fez hoje uma troca de dívida. Em todas as noticias se fala do alívio que foi para as contas públicas, que vamos pagar menos, que o ano 2014 está mais aliviado e muitas outras coisas. A pergunta que devemos fazer é : "será que foi mesmo assim tão bom?Será que está tudo melhor?".A resposta embora não seja agradável tem de ser dada! E a verdade é que esta "troca" de dívida veio agravar tudo ao contrário do que dizem. E basta ver por uma questão simples, segundo o Jornal de negócios foi com sucesso trocado 4,2 mil milhões de dívida que se vencia (que se tinha de pagar) em 2014 e 2015, por dívida que tem que se pagar (ou voltar a trocar) em 2017 e 2018. Esta é a parte "positiva" da noticia que é dada. Está é a ser escondido que a dívida que tinha de se pagar no ano que vem e no seguinte tinha juros respectivamente de 2,127%, 2,753% e 3,324%....e as de 2017 e 2018 têm juros de 4,677% e 4,956%. Isto mostra que não é um sucesso esta operação. Mostra que na prática é um empurrar com a barriga para a frente, para que alguém (todos nós) pague as despesas que eles( os governos PS,PSD e CDS) fazem, mas desta vez com juros dados à banca e aos "mercados" muito superiores (o dobro!).

segunda-feira, 2 de dezembro de 2013

Tribunal Constitucional anda com governo ao colo

“O Tribunal Constitucional andou com Governo ao colo na lei das 40 horas”! Esta poderia ser uma acusação minha, mas não é. São palavras do insuspeito comentador político de domingo à noite, Marcelo Rebelo de Sousa. Estas declarações põem a nu o verdadeiro papel que o TC está a desempenhar, o verdadeiro papel no meio destes orçamentos, deste governo, desta austeridade e deste sistema. Podemos ver por estas declarações e pelo facto de o Tribunal Constitucional ter aprovado 80% da austeridade, qual o função deste orgão. A sua função passa por dar uma esperança às pessoas que venha a travar as medidas que  vão destruir a sua vida, fazendo com que fiquem em casa e não saiam à rua para protestar contra as medidas e exigir a demissão do governo. A função do TC é manter o governo, fazer com que as medidas sejam aplicadas e tentar travar a contestação social. A esquerda parlamentar ao empurrar tudo para o mesmo orgão (o tribunal constitucional) está também inadvertidamente ou não, a empurrar a contestação para a via administrativa desviando-a da rua, esperando que assim o governo fique desgastado.
Como conclusão só podemos tirar que ou saimos à rua massivamente como no dia 15 de Setembro do ano passado (muitos lembram-se) ou não adianta esperar por um "Dom Sebastião", seja na forma de Tribunal Constitucional ou noutra forma qualquer. A decisão se ficamos mais pobres, mais desempregados, se os nossos irmãos, amigos, familiares ou filhos continuam a ter de emigrar está nas mãos de toda a gente, e não nas mãos dos juízes de um qualquer palácio para os lados do Principe Real.


sábado, 30 de novembro de 2013

Morrerão mais pessoas por gripe? É possível...

Hoje saiu a noticia que informa que devido a uma distribuição pelas farmácias inferior a anos anteriores, centenas de milhares de pessoas não terão acesso à vacina da Gripe (500 mil vacinas este ano...1 milhão em anos anteriores). Face a esta situação, as farmácias não estão a conseguir atender todas as pessoas que precisariam desta vacina, incluindo os doentes crónicos. Esta situação que é responsabilidade da Direcção Geral de Saúde (DGS) que está na responsabilidade directa do ministério da saúde, tem potencial de vir a provocar danos avultados na saúde pública. Estas são politicas genocidas por parte de um governo que prefere aumentar os gastos nos seus próprios vencimentos, em vez de  comprar e distribuir as vacinas para prevenir a gripe. Por cada pessoa que não possa tomar a vacina e que em consequência disso venha a morrer, o culpado principal tem um nome e um rosto. O nome é o ministro da saúde Paulo Macedo, e o rosto é este :



quinta-feira, 28 de novembro de 2013

Depois de Mário Soares até o Papa Francisco apela à violência??

Nos últimos tempos ouvimos o Ex-Presidente da Républica Mário Soares, dizer que havia o risco de haver violência caso este governo continue no poder e a practicar as mesmas medidas com que nos tem vindo a presentear. Imediatamente foi acusado pelos partidos pertencentes ao governo de estar a instigar à violência, à rebelião e a ser possivelmente um crime.A declaração mais sonante foi mesmo a do "irrevogável" vice- primeiro ministro Paulo Portas, quando disse  que "As declarações de um antigo Presidente da República [Mário Soares] são graves porque elas significam, mesmo que involuntariamente, a legitimação da violência e em democracia a violência nunca é a forma adequada de manifestar uma opinião". E, recentemente o Papa Francisco disse na sua exortação apostólica "Evangelii Gaudium":

"Mais cedo ou mais tarde, a desigualdade social gera uma violência que as corridas armamentistas não resolvem nem poderão resolver jamais. Servem apenas para tentar enganar aqueles que reclamam maior segurança, como se hoje não se soubesse que as armas e a repressão violenta, mais do que dar solução, criam novos e piores conflitos. Alguns comprazem-se simplesmente em culpar, dos próprios males, os pobres e os países pobres, com generalizações indevidas, e pretendem encontrar a solução numa "educação" que os tranquilize e transforme em seres domesticados e inofensivos. Isto torna-se ainda mais irritante, quando os excluídos veem crescer este cancro social que é a corrupção profundamente radicada em muitos países - nos seus Governos, empresários e instituições - seja qual for a ideologia política dos governantes." 


Se lermos isto pela mesma lente que os partidos do governo lêem, somos forçados a dizer que tanto o Dr. Mário Soares como o Papa Francisco andam os dois a apelar à violência. Mas a realidade é diferente. Qualquer um dos dois, está simplesmente a avisar quem está no poder para o inevitável e para se prepararem. Não porque discordem das políticas que têm sido seguidas (o próprio Mário Soares aplicou muitas quando teve responsabilidades), mas sim porque têm receio de não poderem controlar o que se seguirá e que as pessoas já não oiçam mais o grande centrão político ou no caso do Papa, que as pessoas não mais queiram ouvir que devem sofrer na terra e resignar-se. E este é o grande receio que os leva a virem a público fazer estas declarações. O medo que o mundo mude, e se aperceba que qualquer um dos lados que nos trouxe aqui são de acto o mesmo lado e que já não querem nenhum dos dois.

quarta-feira, 27 de novembro de 2013

Até quando? Governo taxa a EDP....a EDP taxa os Clientes!

O governo criou uma taxa sobre as empresas energéticas, medida essa que foi imediatamente aplaudida por diversos sectores. Pois supostamente, isso iria criar justiça, pois iriam estar a cobrar a quem mais tem e não sempre sobre os mesmo. Essa foi a ideia (errada) com que muita gente ficou. Pois e como admitido hoje pelo ministro Jorge Moreira da Silva, é provável que as empresas de energia repercutam a txa que o governo vai cobrar para cima dos seus clientes. Para que serve então a taxa?  Para nada! Ou melhor, serve para o mesmo, para mais um assalto ao bolso de quem vive do seu trabalho e de quem menos tem. Mas esta situação já seria de esperar, pelo menos por quem não confia no "mercado". Pois estas empresas tudo fariam para manter os seus lucros milionários, e para isso, como óbvio não irão hesitar entre manter os lucros (ou aumentar) ou diminuirem os seus lucros. Esta situação só poderia ser resolvida, com a criação de uma tabela de preços máximos sobre os preços dos combustíveis, electricidade ou outros produtos energéticos. Esta tabela iria evitar com que aumentassem os lucros como o fazem, com que a tributação fosse justa e não fosse possível repercutir e cobrar (indirectamente) a quem consome energia em vez de quem ganha com ela. Mas isso este governo não quer, pois iria afectar os amigos que tem em todas estas empresas em vez de como vai fazer afectar novamente quem menos tem!

segunda-feira, 25 de novembro de 2013

The King is dead, the King will live again.

Há quem venha afirmar que a redução catastrófica do número de espectadores nas salas de cinema era algo inevitável, o resultado da pirataria cibernética. Eu pergunto me se o facto dessa redução se ter dado nos últimos 4 anos é uma coincidência. Claro que não. A experiência comunal de uma sessão de cinema não pode ser substituída pelo ecrã de um computador ou de uma televisão. Ninguém no seu perfeito juízo argumentaria que ver uma peça de teatro na televisão é igual a vê-lo ao vivo. Porque haveria de ser diferente com os imensos ecrãs prateados pintados por lanternas mágicas? A diminuição do poder de compra, a especulação imobiliária, a brutalidade do aumento dos impostos sobre imóveis são a prosaica razão da destruição dos "Cinemas Paradisos" deste país.O Monumental teria sido perfeitamente rentável com uma terceira sala, alteração projectada pelo seu arquitecto, Raúl Rodrigues Lima, nas vésperas da sua demolição em 1983. Resta-nos assim, dos cinemas Paradiso lisboetas apenas O Nimas também explorado pela Medeia Filmes. Desde que cheguei a Lisboa, ja vi fechar os castiço Quarteto e Ávila.Demolido foi o Europa em Campo de Ourique e esse será também já o destino do Odeon, um dos mais belos edifícios de Lisboa e um exemplo raro de pura arquitectura Art Déco em Portugal. Outra jóia Art Déco é o Paris, na Estrela, que vai lentamente apodrecendo.O Condes, que hoje abriga um franchising de restauração, foi a última edificação num local onde existira continuamente desde o Século XVIII uma sala de espectáculos, primeiro de teatro e mais tarde também de cinema. O Cine Royal na Graça, primeiro cinema sonoro da cidade é hoje um supermercado e um dos mais antigos, de todos,datando de 1907 o Animatógrafo do Rossio foi transformado numa sex shop. Todas as cidades sofrem em maior ou menor medida da selvajaria filistina da especulação imobiliária.A ideia de que só em Portugal se cometem estas atrocidades é um disparate mas o cenário em Lisboa é particularmente dantesco. A excepção do São Jorge,do Nimas e do Cinearte, tudo o que existiu de salas de cinema foi demolido parcial ou integralmente,abandonado á ruína ou desfigurado para dar lugar a uma nova utilização. Os velhos templos foram profanados pela ganância, pela corrupção e pela ignorância e o King, com a sua programação ecléctica, cosmopolita é literalmente uma das últimas vítimas.Pouco mais resta para salvar. Mas sabemos quem são os culpados e quero acreditar que um dia haverá justiça, que um dia haverá pão, saúde, educação e cultura para todos. Que novos Kings se erguerão em cada bairro.A Cultura não é um luxo, é uma necessidade, um direito. Havemos de o conquistar.

sexta-feira, 22 de novembro de 2013

O tabu das escadas

Ontem na manifestação das forças policiais viu-se aquilo que já não se via desde 15 de Outubro de 2011, a tomada das escadarias pelos manifestantes. Claro que só aconteceu devido à pouca vontade ou ordens da polícia para bater nos colegas como nos anos 90 aconteceu.
Mas o mais surpreendente (ou então não) é as posições que ao longo do dia têm saltado, seja de representantes do movimento que se lixe a troika, seja de membros desse mesmo colectivo.
Então ainda hoje o Ricardo Morte, em entrevista diz que o movimento que se lixe a troika, quer ter o direito de ir para as escadas também. Esta posição seria cómica...se não fosse trágica! Pois é de recordar, que em vésperas da manifestação de 26 de Outubro foram representantes do movimento QSLT pedir encarecidamente (e quase de joelhos) que a presidente da Assembleia da República desse o direito a usar as escadas. E como disse, e não fosse cómica, seria trágica, pois as escadas da assembleia da república não são algo que se peça, tal como as manifestações também não se pedem, e devem ser um direito, pois são, como se costuma dizer parte integrante da "casa da democracia". E que democracia é esta que veda parte da sua "casa" aos cidadãos?
Outra coisa, que me leva a pensar que a discussão não se quer séria mas sim uma caricatura de discussão é este artigo no 5 Dias, por parte do também membro do Que Se Lixe a Troika  Tiago Mota Saraiva. Em que compara a subida das escadas da assembleia da república (um local de poder em que a polícia evita sempre que se suba) a uma subida à escadaria do Bom Jesus em Braga. Eu posso dizer que já subi a escadaria do bom Jesus em Braga várias vezes, mas só quem esteja de má fé (e não é um trocadilho religioso) pode comparar estas duas situações. Fico à espera de uma discussão mais séria e de menos tentativas de atirar areia para os olhos...

terça-feira, 19 de novembro de 2013

Em defesa da Constituição, da Democracia e do Estado Social

Parece que no próximo dia 21, vai haver uma espécie de comício chamado "Em defesa da Constituição, da Democracia e do Estado Social". Neste comício, que diz estar em defesa do Estado Social, da Constituição e da Democracia, serão promotores pessoas como Mário Soares, Alberto Costa ou Pacheco Pereira. E entre os convidados estarão personalidades como Freitas do Amaral ou António Capucho. Tudo personalidades que ou estiveram directamente ligadas à situação que chegámos e/ou deram aval às políticas efectuadas de destruição do Estado Social até aqui feito. Então e o que fez cada um quando teve responsabilidades?

Mário Soares - Chamou o FMI por 2 vezes e foi responsável pela entrada de Portugal na UE, sem qualquer salvaguarda;
Alberto Costa: Ministro da Justiça no primeiro governo Sócrates e ministro da Administração Interna no Governo Guterres;
Pacheco Pereira: Deputado do PSD em 4 legislaturas;
Freitas do Amaral: Foi ministro da defesa nos anos 80, deputado em algumas ocasiões e Ministro dos negócios estrangeiros do 1º governo Sócrates;
António Capucho: Ministro em 2 governos (IX e XI), Deputado (1980 - 1999);

Tudo em governos que tiveram responsabilidades no estado a que chegámos, seja em chamar o FMI, seja em Governos Cavaco Silva (seria moroso colocar aqui todo o role de responsabilidades de Cavaco Silva), Governo Guterres, seja como deputados ou como ministros em governos José Sócrates.

E são estas pessoas que nos conduziram até aqui e que atacaram de todos os modos a constituição, a democracia  e o Estado Social que agora pretendem vir defendê-lo? 



domingo, 17 de novembro de 2013

Vocês sabem de quem estou a falar...

Se há coisas de que não precisamos mais é de esquerda mediana. É a esquerda mediana que marca manifs/passeatas de 6 em 6 meses, que tem medo de atravessar pontes, de pôr em causa o Euro, que nada diz contra a violência policial sobre manifestantes, que quer negociar uma dívida que resulta de décadas de corrupção e da usura dos capitalistas financeiros, que virou as costas a toda uma geração de precários e que não pretende pôr em causa o sistema. Que se foda a Esquerda do meio e todos os seus antigos e novos representantes. Para o caixote do lixo da História com vocês, em breve, muito em breve. Vocês não são livres coisa nenhuma, são marionetas voluntárias do sistema. Eu sim serei livre e não será por ficar no meio. Decididamente, no que diz respeito a Esquerda, no meio não está a virtude nem a liberdade!

sexta-feira, 8 de novembro de 2013

Um protesto "silencioso"

Antes de mais gostava de saudar a greve da função pública, pois é nestes momentos que devemos estar unidos e combater unidos o(s) inimigo(s) comum(ns), a troika e o governo. Mas o que também marca este dia é o protesto "silencioso" que tinha sido marcado para as galerias do parlamento hoje, esse protesto que de silencioso pouco teve, pois de protesto contra as politicas do governo, passou a aplauso (sim, aplauso!) ruidoso às politicas do governo para o sector e por inerência para todo o país.
Se antes podia haver alguma desconfiança quanto ao lado da barricada que a PSP - Polícia de Segurança Pública (Possivel confusão com PSD) ocupava, hoje ficou mais claro. O lado da barricada que a PSP, e as suas direcções, seja laborais seja sindicais, ocupam é o lado do governo, o lado da troika, o lado da pobreza e da morte lenta que acontece a milhares de pessoas neste país e pela europa fora.
Por certo deve haver polícias que estejam contra a politica do governo, que tenham as suas familias afectadas, mas a esses só é possível uma solução. Já que o seu desvinculamento da PSP iria provocar o seu desemprego, que numa situação destas seria complicado, o mínimo exigível é o seu desvinculamento desses sindicatos e a adopção de novos sindicatos que promovam uma luta séria contra as políticas que destroem o país, sem essa medida nunca terão o respeito de quem está contra estas políticas e nunca poderão almejar derrotar estas políticas.

quarta-feira, 6 de novembro de 2013

Ante-estreias no Parlamento

Foi hoje no parlamento, no salão nobre a ante-estreia do filme "Até amanhã,Camaradas" de Luís Filipe Rocha, baseado na obra de Manuel Tiago, pseudónimo que Álvaro Cunhal. Pois, parece que agora o parlamento se vai converter em sala de cinema, onde passam as ante-estreias. Lugar para em vez de discutir a situação do país, local para definir politicas, passa a sala de cinema. Fica a pergunta, quantos locais de trabalho têm sala de cinema e quantos permitem ver filmes durante o horário de trabalho?

Já agora qual o próximo filme que vai ser possível ver nesta sala de cinema?



segunda-feira, 4 de novembro de 2013

A guerrilha que nos cerca

É dado como certo por um vasto role de economistas que estamos numa crise apenas comparável à de 1929, em que todos os dias se assiste a mais desemprego, mais pobreza, mais suicídios, entre muitas outras coisas. O episódio mais recente passa-se no Porto em três bairros sociais, no Lagarteiro, no Contumil e no Cerco do Porto. Nestes três bairros a EDP, uma empresa recentemente privatizada a 100%, com a cobertura proporcionada pelo corpo de intervenção efectuou o corte de Electricidade a centenas de moradores. Com este corte, a EDP retirou um direito básico a estas pessoas, o direito a viver condignamente, o direito a não viver às escuras.

Engane-se quem pensar que isto é um acto isolado no meio de toda a situação política e económica. Estas acções acabam por estar inseridas na actual guerrilha económica que se vive, onde somos atacados das mais variadas maneiras, e onde tombam vítimas inocentes. Só há uma maneira de responder a este tipo de guerra social que está a ser implementada, demitir este governo e expulsar a troika. Sem isto, a guerra social continuará inabalável e a ceifar vidas todos os dias.

segunda-feira, 28 de outubro de 2013

O talismã de um governo odiado

Eles não quiseram ir para São Bento no 15 de Setembro e acabam a manifestação na inócua praça de Espanha.Eles chamam vândalos a manifestantes agredidos pelas forças do regime no Chiado a 22 de Março de 2012.Eles convocam greves gerais de um dia de 6 em 6 meses.Eles queriam um arraial no dia 15 de Outubro de 2011 quando no resto do mundo em centenas de cidade se preparava aquela que viria a ser a maior manifestação mundial anti capitalista da História. Eles não condenam a carga policial violentíssima que levou tudo pelo frente, mesmo aqueles que não tinham atirado pedras aos policias.Eles não faziam manifestações ate Sao Bento, até a plataforma 15 de Outubro as fazer e depois voltaram a deixar de as fazer.Eles levam centenas de milhares a rua no 2 de março mas depois não esperam que as pessoas cheguem todas ao terreiro do paço e começam logo a desmontar palco e apagar luzes.Eles decidem que a melhor forma de dar continuidade ao 15 de Setembro é uma concentração em Belem numa sexta feira a tarde, um concerto na praça de Espanha um mês depois e uma greve geral 2 meses depois.Eles acham que vamos lá com uma manifestação de 6 em 6 meses.Eles acham que não deve haver assembleias populares nem tão pouco microfones abertos no final das Manifs. Eles abandonam a ponte quando se afigurava um protesto gigantesco que faria tremer o governo. Eles convocam arruadas para bem longe de Sao Bento quando o governo esteve por um fio após a demissão irrevogável de Portas.Eles abandonam manifs por si convocadas sem avisar os restantes organizadores.Eles caluniam,desencorajam,desmobilizam e nem sequer colam todos os cartazes que lhes são confiados. Eles são o obstáculo entre nós e a queda do governo.Eles são o último reduto do regime.Eles não querem que esta merda mude.Eles serão ultrapassados pelas massas, a História avançará sem eles.

sexta-feira, 25 de outubro de 2013

António Costa institucionaliza a pobreza

Foram colocados na zona de Arroios pela câmara de Lisboa, numa experiência piloto, 12 cacifos para os sem Abrigo guardarem os seus pertences. Esta ideia que quem olha à primeira vista até pode parecer de uma verdadeira preocupação, quando vista mais de perto é algo incomentável. Trata-se de fornecer aos sem-abrigo um sítio para guardar as coisas para que consigam continuar na RUA. Esta é a verdadeira política do António Costa e do Partido "Socialista". Uma política de instucionalizar a pobreza, de caridadezinha, mas nunca de resolver os problemas dos vários milhares (posso arriscar milhares) que se vêm cada vez mais pelas ruas de Lisboa à medida que o rolo compressor da austeridade avança. António Costa com esta e outras medidas posiciona-se ao lado de Passos Coelho na gestão da austeridade e no apoio à continuação na pobreza do povo.

Fica por fim aqui uma música dedicada ao António Costa:



quarta-feira, 23 de outubro de 2013

Quantos desempregados são oriundos do governo?

Hoje no debate quinzenal, o líder da bancada do PSD disse que os cortes e despedimentos na função pública são apenas uma questão de equidade em relação aos trabalhadores do privado. E continuou a perguntar "quantos dos 400 mil desempregados são funcionários públicos?".
Após estas declarações do maior partido do governo, venho pedir equidade também e fazer a pergunta, quantos desempregados são do governo? Quantos cortes de vencimento sofreram os membros do governo e respectivos gabinetes?

Posso já responder.. NENHUM. O que me leva a dizer que quero equidade para o governo no que toca ao desemprego...portanto dia 26 de Outubro vou estar na rua a exigir a demissão deste governo.

Fica aqui a lista de sítios e eventos no facebook:


Aveirohttp://www.facebook.com/events/622401861135723/

Bragahttps://www.facebook.com/events/506278292789312/

Coimbrahttps://www.facebook.com/events/529946873750105/

Faro - https://www.facebook.com/events/659979904020852/

Funchalhttps://www.facebook.com/events/560517967353854/

Horta, Faial https://www.facebook.com/events/379027642228272/379676388830064/


Lisboahttps://www.facebook.com/events/220197414805115

Portimão https://www.facebook.com/events/1422061658010090/


Portohttps://www.facebook.com/events/518182104931744/

Setúbalhttps://www.facebook.com/events/566335823421562/

Viana do Castelo -https://www.facebook.com/events/726547610695883/

Vila Realhttp://www.facebook.com/events/348960148584117/


Viseuhttps://www.facebook.com/events/419531018169939/

quinta-feira, 17 de outubro de 2013

Ministra não consegue poupar....

Hoje numa entrevista feita na SIC a seguir ao telejornal Maria Luis Albuquerque revelou que não consegue poupar pois tem 3 filhos e continua a ter despesas. Não revelou ( e nem sequer se preocupa) é que há milhares de pessoas que também têm 3 filhos mas um rendimento muito inferior, e aí é que nem sobreviver conseguem, quanto mais poupar o que quer que seja. A ministra que experimente abdicar do seu salário superior a 5 000 euros mais ajudas de custo de todo o género e viver com um ordenado de 600 euros (sim do valor que quer começar a cortar as reformas) e depois aí sim pode dizer que não consegue poupar.


segunda-feira, 9 de setembro de 2013

Uma privatização (da RTP) com uma benção inesperada

Ontem o Ministro Poiares Maduro ( Ministro adjunto com a pasta da comunicação social) propôs que a RTP - Radio e Televisão de Portugal, uma empresa pública, uma televisão pública, como em todos os países desenvolvidos, fosse controlada por uma entidade externa e independente. Esta proposta, que se segue às sucessivas tentativas falhadas seguidas pelo governo, pelas mãos de Miguel Relvas de tentar PRIVATIZAR, VENDER, DAR (escolha uma) a RTP para mais um belo negócio com os seus amigos. Até aqui tudo normal num governo que parece ter como agenda além do empobrecimento generalizado para dar esse dinheiro roubado a quem vive de juros e de capitais vários. O que não é normal no meio desta privatização (da gestão) da RTP foi a posição hoje assumida pelo Bloco de Esquerda pela sua deputada Cecília Honório. Então qual foi a posição do Bloco de Esquerda? A de apoiar e de considerar "bem-vinda" a ideia do governo de entregar a privados o controlo da Televisão e Rádios Públicas.

Esta posição para além de vergonhosa por parte do Bloco, deve merecer o repúdio de toda a gente que se considere de Esquerda e que defenda o direito a um serviço público, universal e de qualidade. Com esta posição o Bloco de Esquerda opta por se posicionar do lado do governo numa medida à muito ambicionada pela Troika e pela Direita em Portugal.

Uma outra questão que fica no ar é "O que é uma entidade independente para o governo?"

Será uma entidade que será independente do governo para o Ministro Maduro "a RTP “vive sob uma suspeita permanente de risco de governamentalização”"....“Porque essa gestão é sempre associada, eventualmente, a uma intromissão dos Governos”. Deste lado estamos esclarecidos o que é uma entidade independente para o Governo. Agora o que se impõe é outra pergunta "O que deve ser uma entidade independente?"

Uma entidade independente que seja realmente independente deve em primeiro lugar ser independente financeiramente, logo não depender de ninguém (sem dinheiros públicos nem privados) para prosseguir os seus fins diários. Como essa situação não tem possibilidade de existir em lado nenhum, alguém terá de financiar esta entidade...logo não há a hipótese de ser independente nesta perspectiva. Outra questão e última é quem nomeará essa entidade...o Governo?? Um comité de sábos (certo...independência pois) constituidos pelos mais célebres empresários (estamos faládos aqui quanto a independência)? Estas perguntas têm resposta imediata. Portanto a única lição que fica aqui é de mais uma tentativa do governo PSD-CDS tentar privatizar a RTP e desta vez ter a ajuda do Bloco de Esquerda.

quinta-feira, 5 de setembro de 2013

Protecção policial?? Onde anda a justiça em Portugal?

No último dia 3 de Setembro, o tribunal de Famalicão deixou à solta um violador tendo apenas como "medida", apresentações semanais. Tudo isto já seria suficientemente grave, mas hoje acrescentou-se mais um triste capítulo a esta situação, com o violador a requerer protecção policial. E porque requer o violador protecção? Porque após a população da zona se sentir legitimamente insegura e a requerer justiça, o violador foi parar ao hospital com agressões várias...

A pergunta que se impõe é...quanto vai custar a protecção policial? Que justiça é esta que solta um violador e ainda lhe dá protecção policial?
Uma salva de palmas para a população que sem medo resolveu fazer alguma justiça em mais um caso de violação ( ou casos parecidos) em que os tribunais portugueses decidem a favor dos criminosos.

  • http://www.dnoticias.pt/actualidade/pais/404377-tribunal-deixa-em-liberdade-suspeito-de-sequestrar-e-violar-menor-de-14-anos

  • http://www.tvi24.iol.pt/sociedade/violacao-famalicao-tribunal-pj-agressao-tvi24/1486716-4071.html

domingo, 1 de setembro de 2013

Piropos: o menos grave dos sintomas

É simples: Piropos lançados a uma mulher desconhecida ou com a qual não se tenha o tipo de confiança para entrar nesse género de "flirt" deixando-a desconfortável ou mesmo sentindo-se ameaçada é de facto uma pulhice. Mas se alguém acha que pode resolver o problema, criminalizando o acto, está muito enganado. O piropo é um sintoma, e porventura nem o mais grave, de uma doença muito maior, a mesma doença que faz com que o salário médio dos homens seja maior que o das mulheres, a mesma doença que leva mulheres a terem que dizer que não pretendem ficar grávidas ou a responderem se têm filhos (pergunta que obviamente não será feita ao marido), a mesma doença que leva centros de saúde a não terem stock de pílulas contraceptivas, a mesma doença que faz com que o juiz absolva um réu porque "a violação não foi muito violenta" ou porque a vítima de 14 anos já tinha sido sexualmente activa.É a mesma doença que leva a existência de noivas crianças no subcontinente indiano e em África, a existência da Burqa, da mutilação genital feminina (até na Europa), do tráfico sexual de mulheres.

E esses problemas só podem ser solucionados através da educação e do fim da exploração dos homens e das mulheres pelos homens.Quem não abordar a opressão das mulheres de uma forma integral mas limitando-se apenas a criminalizar o menos grave dos seus exemplos ou é ingénuo ou anda a brincar ao politicamente correcto, á política fútil, aos soundbytes sem ter a coragem de atacar a raiz do problema.E no que me diz respeito, esse problema só desaparecerá quando o modelo civilizacional em que vivemos desaparecer. E isso faz-se através de um sistema educativo que incuta os valores da igualdade (entre homem e mulher,raças e etnias,credos, orientações sexuais) da luta sindical e da construção de uma revolução que acabe com o capitalismo que tanto fomenta as desigualdades para facilitar a exploração.

quarta-feira, 14 de agosto de 2013

A economia cresceu!! Será??

Hoje (e nos próximos dias ou semanas) não se vai falar de mais nada senão do "facto" de a economia ter crescido 1,1%....eis o maravilhoso mundo novo prometido pelo governo e que veio a tempo das Eleições Autárquicas. Mas que crescimento é este que nos é apresentado assim deste modo?? A pergunta que se impõe é como apareceu este crescimento?? A resposta é simples e directa...NÃO APARECEU.
É fácil de explicar como não apareceu. Como exemplo para melhor explicar vou dar um exemplo de dois liquidos...água e azeite.Então se tivermos um copo de água e um copo de azeite sabemos que embora sejam os dois liquidos,  serão sempre diferentes, um será sempre mais denso que o outro e o próprio sabor não se compara, logo não se podem comparar.... do mesmo modo não se pode comparar o crescimento da economia num trimestre com o anterior em vez de o comparar com o mesmo trimestre do ano anterior (os mesmos meses). Então se virmos as noticias o que dizem? Que a economia teve um crescimento espantoso de 1,1% face ao trimestre anterior...porque se formos a ver em termos homólogos a economia caiu 2%. Pelo que se pode dizer que isto sim é uma acção de propaganda eleitoral feita pelo governo para não perder as autárquicas, e depois disso aplicar a austeridade com a desculpa que a economia até está a crescer...contando com os favores feitos por quase toda a imprensa de uma cobertura mediática que diga qe estamos a crescer....

quarta-feira, 24 de julho de 2013

Quem é Rui Machete (o novo ministro dos negócios estrangeiros)??



Ontem soubemos da nova hierarquia do governo, com caras novas (ou nem por isso) como a de Rui Machete, o novo ministro dos negócios estrangeiros. Mas quem é Rui Machete? Uma cara nova no meio deste governo? Nada disso! Rui Machete já está envolvido à muito tempo com tudo isto, senão reparem...

  • Fundador do PSD
  • Ministro dos Assuntos Sociais (em governo provisórios)
  • Ministro da Defesa, ministro da Justiça e vice-primeiro-ministro no tempo do governo de bloco central (PS-PSD) do Mário Soares
  • Presidente do PSD em 1985
  • Deputado durante 4 legislaturas
  • Presidente do Conselho Superior do Grupo BPN/SLN (2007-2009)
  • Presidente da Mesa Nacional do PSD (2008-2010)
  • Presidente da Fundação Luso-Americana para o Desenvolvimento (1988-2010)
  • Vice-Presidente da Caixa Geral de Depósitos (2011-)
 Uma boa conclusão a tirar-se deste "magnífico" curriculo é que tachos é o que não lhe falta, e de que o PSD está envolvido até ao osso no escândalo BPN. Pois enquanto ele era presidente do conselho superior do BPN era ao mesmo tempo Presidente da Mesa Nacional do PSD. Portanto temos aqui um homem da confiança do PSD, da confiança da Banca mas que deve ser de desconfiança para todas as outras pessoas.
Uma pessoa que está envolvida no processo que levou a um dos maiores desfalques ( se não o maior) não é nem pode ser de confiança. Agora além de termos uma ministra das finanças envolvida no roubo dos SWAPS, temos um Ministro dos Negócios Estrangeiros (e que negócios!!) que deveria estar preso pela sua participação no BPN...

segunda-feira, 22 de julho de 2013

O que nos resta?

Este Domingo soubemos aquilo que já seria de esperar, Cavaco não demite o governo e a austeridade é para continuar e aprofundar. Ao mesmo tempo esta segunda-feira Passos Coelho já avisou que a vida não vai ser fácil. vamos de certeza ter mais austeridade, mais empobrecimento, mais desemprego, etc, ect, ect...
Então que nos resta fazer? Esperar pelas eleições autárquicas para se ver qual o efeito nos partidos do "arco da governabilidade"?? Esperar para ver se à imagem de Guterres o governo cai após um desastroso resultado eleitoral autárquico? Não!! Não podemos dar tréguas, nem esperar pacientemente que a solução nos caia no colo! Não podemos olhar para cima na esperança de surgir um qualquer D. Sebastião que nos tire desta situação! Não podemos esperar que os outros saiam à rua, demitam este governo e se procure melhores soluções! Não podemos!! O que temos de fazer com toda a força que tivermos é ir todos (e todas também) para a rua exigir a demissão desde governo, o fim da austeridade, acabar com a troika e construir uma alternativa realmente popular, que se preocupe com os interesses do povo e não com os interesses dos grandes empresários, banqueiros e capital nacional e internacional!
Portanto à pergunta "O que nos resta?" a resposta só pode ser uma, não parar e  apoiar todas as lutas justas!

domingo, 14 de julho de 2013

A verdadeira Quinta Dimensão

Esta semana parece que a discussão política vai entrar na Quinta Dimensão, numa verdadeira Twillight Zone, senão vejamos...
O Partido Socialista diz que vai votar a favor da moção de censura d'Os Verdes, e que por essa ordem de ideias se posicionaria do lado favorável à queda do governo e contra a austeridade, uma vez que votaria favorávelmente o conteúdo da moção. Ao mesmo tempo, vai iniciar negociações para haver uma continuidade do governo e da política da troika e da austeridade.

O PS terá de ser confrontado com a ideia  de que numa travessia de um rio ou se está de um lado (da austeridade, da troika, do empobrecimento) ou está do outro (anti-troika, não à austeridade) e que não se pode posicionar a meio da ponte sem saber para onde vai...

De qualquer modo com estes ingredientes todos, nesta semana a banda sonora será quase com toda a certeza esta...


quarta-feira, 3 de julho de 2013

É só mais um empurrão e o governo cai ao chão...

Ontem tivemos mais um exercício surrealista por parte do Primeiro-Ministro. O governo caiu e desmoronou-se mas na sua cabeça continua intacto e não se passa nada. O Povo reagiu de Imediato multiplicando-se pelas redes sociais os pedidos de queda do governo. Dos diversos sítios as reacções são as mais variadas, enquanto os sindicatos pedem a queda do governo, os patrões pedem uma soluçao mais moderada, querem a saída deste governo mas não querem eleições, ao que se pode inferir qe privligiam uma situação de governo de iniciativa presidencial.

O que devemos fazer agora? Agora mais do que nunca devemos sair à rua e dizer que não queremos este governo, que não queremos o FMI, não queremos a Troika! Agora é a momento de nos unir-mos! Agora é a hora!

Por isso devemos apoiar as concentrações e manifestações que apelem à queda do governo, esse é o nosso ponto de unidade, a queda do governo!

Hoje:

  • https://www.facebook.com/events/387596634677901/?ref=25
  • https://www.facebook.com/events/415842455198110/?ref=25

Amanhã:

  • https://www.facebook.com/events/317034115098033/


segunda-feira, 1 de julho de 2013

A Sra Ministra das Finanças

Vitor Gaspar já andava a ver a sua vida muito complicada desde as manifestações de Setembro/Outubro do ano passado. Depois da greve geral de 27 de Junho não resistiu e apresentou publicamente demissão do governo. Já vai tarde, não deixa saudades, mas deixa um rastro de destruição no país difícil de consertar. Mas a nova ministra não vem para consertar isto, vem para acabar com o que ainda restou. Mais, tem a pesar sobre si a sombra de uma monstruosa mentira sobre aplicações financeiras de alto risco com dinheiro de todos nós... que perdeu... mesmo muito, muito dinheiro. Esta escola revela algumas coisas, a saber:
já ninguém em seu perfeito estado aceita colaborar com este governo;
  • a escolha é má e revela desespero;
  • o timing da troca é curioso - a ministra está sob fogo e ainda assim é nomeada.
O certo é que Gaspar deixa Passos entregue a si mesmo e a ser apontado como máximo responsável de tudo o que aconteça no país. Um dos pilares deste governo acaba de ruir.
A partir deste momento, o alvo é Passos Coelho. De forma óbvia!
Passos tem de apresentar um orçamento para 2014 já em Outubro. As melhores apostas são que o governo não sobrevive às autárquicas e a este novo orçamento. Isto se é que ainda não vimos novo orçamento rectificativo poucos dias antes desse. O défice nunca será o pretendido pela troika e o povo está pronto para transbordar com a última gota. Eventualmente, terá sido esta substituição uma tentativa de conter a panela de pressão social, mas a escolha foi suicida.
Que caia o governo com todos os seus tiques fascistas e que a liberdade e o povo tomem as ruas e o poder em suas mãos!

sábado, 29 de junho de 2013

Isto é Guerra....

Muitas vezes fala-se que o governo está a impôr uma guerra social, mas a materialização dessa guerra muitas vezes não é perceptível. A partir de Segunda-Feira, essa Guerra Social estará mais visível.  Porque digo isso? Porque é já apartir de Segunda-feira que à semelhança de uma guerra (com armas) irá faltar pão, medicamentos, entre outras coisas, tal como numa guerra militar. Esta guerra social, mais invisível, mas que tem matado milhares de pessoas à fome, por suicídio, por falta de cuidados médicos, vai tomar mais um passo em frente. E para que serve esse passo em frente? Um passo em direcção ao abismo? Claramente! Em direcção ao abismo social vamos caminhando, para encher os bolsos de meia dúzia de banqueiros e senhores do dinheiro, que se vão enchendo com o empobrecimento do país e com as mortes que acontecem todos os dias.

terça-feira, 25 de junho de 2013

Uma medalha para estes senhores....

Hoje apareceu uma noticia que se pode dizer que é no mínimo surpreendente. Surpreendente pela rapidez e eficácia com que a GNR do Algarve apanhou um perigoso gang, que era o perigo dos perigos, pois jogavam bingo e o modo de pagamento eram bolachas. O que pode ser mais perigoso do que jogar bingo com este modo de pagamento??
Tenho é imensa pena que nenhum destes GNR, tão zelosos do seu serviço, se tenha lembrado de ir investigar o ex- secretário de Estado Paulo Braga Lino, que depois de ter prejudicado o Estado e os contribuintes em Milhões de Euros, sai do governo e vai muito descansadinho para a Administração do Metro do Porto. Ou podiam também fazer algo quanto ao João Coutinho, que depois de sair da Caixa Geral de Depósitos (CGD) com uma indemnização de 500 000 Euros (Meio Milhão, coisa pouca), regressa novamente para a gestão da CGD. É caso para se dizer estes GNR's das bolachas, só não estão onde seriam precisos...
Estes são dois entre muitos escândalos que se repetem e que ninguém faz nada, há que fazer alguma coisa, e ficar em casa não é nem pode ser opção. Por isso, dia 27 (Quinta-Feira), estejamos todos na Greve Geral e na manifestação organizada pela Plataforma 15 de Outubro!

https://www.facebook.com/events/181264872037235/?fref=ts



segunda-feira, 24 de junho de 2013

Greve Geral - Fazer greve e ir à Manif!

Há greve dia 27. Fazer greve porquê? é uma questão que se ouve com frequência. A resposta é - porque atinge os patrões onde mais lhes dói e foi assim que historicamente os trabalhadores conquistaram os seus direitos, que este governo quer abolir. Então apontemos apenas alguns pontos para FAZER GREVE E IR À MANIFESTAÇÃO:
Temos um governo que cortou subsídios, pensões e salários, retirando dos já magros pagamentos auferidos a nível nacional. Para quê? para dar à troika com a desculpa de que o povo deve. Não é o povo que deve, é a banca.
Temos um governo que fez cortes drásticos nos orçamentos da saúde e da educação, em claro prejuízo daqueles que menos possibilidades têm e como tal não podem ir ao privado. Para quê? para dar à troika, mesma razão acima.
O único ministério que viu o seu orçamento crescer foi o da Administração Interna, encarregue do exército e das polícias. E nunca se viu tanta repressão em Portugal como nos últimos tempos. Portanto, o governo tira da saúde e da educação para aumentar a força de repressão.
Temos um governo que fez passar várias leis inconstitucionais, chumbadas pelo tribunal constitucional. Em todo o caso não se demoveu de as aplicar. Para quê? para dar dinheiro à troika.
Temos um governo que já despediu 12 000 professores e planeia despedir mais 20 000. Quem vai ensinar as crianças? Um professor por cada 40 alunos... ou mais...
Temos médicos que fazem bancos de mais de 24h seguidas porque não há médicos suficientes. Quem é prejudicado são os utentes do serviço Nacional de Saúde que não são observados em condições apesar de termos os melhores profissionais do mundo.
Temos falta de materiais nos hospitais porque o ministro Gaspar proibiu as compras. Para quê? para ter mais dinheiro para dar à troika. Já há médicos sem ter com o que tratar os pacientes.
Fazemos greve para que o país páre e ouça o nosso grito de alerta: há gente a morrer, há crianças com fome, há crianças que já não conseguem ir à escola, muitos estudantes a deixar as faculdades, há um milhão e meio de desempregados e menos de metade recebe algum tipo de subsídio, há milhares de pessoas a recibo verde sem saberem se terão o seu pão assegurado amanhã, há idosos sem comer e a morrer sozinhos em casa, falências em catadupa... o país está a morrer... por isso
FAZEMOS GREVE, VAMOS À MANIFESTAÇÃO E GRITAMOS: FORA O GOVERNO E A TROIKA!!

https://www.facebook.com/events/181264872037235/?fref=ts

domingo, 23 de junho de 2013

Há 2 lados da Barricada

Cada vez mais se pode dizer que temos duas hipóteses, dois lados da barricada, ou estamos contra a austeridade e a favor da expulsão da troika, contra esta dívida que nos sufoca e mata todos os dias, ou estamos do outro lado da barricada e defendemos a troika, a austeridade, a fome, a miséria e a morte às mãos dos interesses da dívida. Claro que haverá aqueles que oportunisticamente se posicionam em cima do muro sem escolherem claramente um lado, mas a esses há que dizer de forma explicita, que quem não escolhe um lado escolhe o lado da dívida, escolhe o lado da troika.

Neste dia 27 de Junho, com a Greve Geral também só há 2 lados, duas barricadas, ninguém pode jogar com triplas. Ou estamos do lado anti-austeridade, anti-troika, anti-dívida (o que excluiu a sua renegociação para pagamento) ou estamos do lado do Governo, da austeridade, da fome, da miséria, da Troika e da morte lenta.

Por isso, o Contra-Reaccionário posiciona-se claramente do lado anti-troika, e de apoio total e completo à Greve Geral.
Estaremos com todos os trabalhadores, reformados e estudantes a apoiar e a fazer crescer a greve e na manifestação convocada pela Plataforma 15 de Outubro, no Rossio às 15h!

https://www.facebook.com/events/181264872037235/permalink/182193875277668/

quarta-feira, 12 de junho de 2013

Dos Interesses Instalados

Hoje, dia 12 de Junho, e em contagem decrescente para uma greve de professores aos exames nacionais (que o Contra-Reaccionário saúda e deseja os maiores sucessos) soubemos de uma notícia que dá conta de que o Director do Agrupamento de Escolas de Carcavelos e ao mesmo tempo dirigente da Associação Nacional de Directores de Agrupamentos e Escolas Públicas (ANDAEP) veio a público dizer que tudo fará para que a greve dos professores não se realize, tendo convocado todos os professores da mesma escola (180) quando para a realização dos exames de dia 17 seriam necessários apenas 30. Mas esta decisão de um dirigente associativo merece ser escrutinada, já que os meios de comunicação não esclarecem quem é o Senhor Adelino Calado...

 Pois, o senhor Adelino Calado não é inocente no meio de toda esta política da troika e do governo na destruição do Ensino Público e de qualidade. Vamos então lá ver que ligações tem o director da ANDAEP a este governo.

Como Militante do PSD, e apoiante público de uma candidatura à câmara de Cascais como pode ser visto aqui e aqui,   é portanto um apoiante deste governo e cumplice desta política que todos os dias destrói empregos, destrói famílias e acaba com vidas. Prova-se que esta posição da ANDAEP não se trata de mais do que o juramento de fidelidade dos capatazes nomeados por este e por anteriores governos que a única coisa que defendem é a voz do dono e não o interesse do País, da Escola Pública, dos professores e dos alunos.Provávelmento nos próximos tempos e depois de tal juramento de fidelidade e amor eterno, existe a probabilidade de o ministro Nuno Crato o  nomear para qualquer cargo mais elevado dentro do Ministério por ele dirigido.


domingo, 17 de março de 2013

Troika Rouba Povo de Chipre

De volta após um período em que a actividade na rua nos remeteu ao silêncio na internet por manifesta falta de tempo.
Esta situação do congelamento das contas dos cipriotas que passarão 3 dias sem acesso às suas contas, às quais será retirada a quantia que a troika exige, é muito, mas mesmo muito perturbador.
Afinal, onde estão os direitos dos cidadãos? Onde está a democracia?
Era bom que as pessoas tivessem claro que os cipriotas viram as suas contas congeladas de repente. A decisão só foi anunciada após o fecho das bolsas. Quebrou-se de vez a réstia de confiança que algum povo ainda tinha na troika e nas instituições bancárias. A decisão deixou os cipriotas sem acesso ao seu dinheiro, vai retirar das suas contas dinheiro sem a sua permissão. Isto é um roubo e há que ser explícito sobre isto.
Quem tinha dinheiro consigo tinha, quem não tinha ou pediu a alguém ou não comeu. E pensamos nós que estamos em países desenvolvidos, longe do terceiro mundismo da América Latina...
Neste momento, aguardamos para ver o que acontece na segunda-feira e na terça-feira quando as bolsas abrirem, a nível mundial e no Chipre.
Aqui o Contra afirma toda a solidariedade com o povo cipriota, pois olhando para este país pensamos em pôr as barbas de molho por cá...
E na Segunda-feira também ficam todos convidados para o protesto do 15O em frente ao Ministério das Finanças às 18:00.
Tudo na rua contra a ditadura financeira que caminha para uma ditadura política a Passos largos...

sexta-feira, 8 de fevereiro de 2013

Já temos luz ao fundo do túnel


Esta semana foi rica em anúncios e em "(des)anúncios". Quase que tivémos um TGV, desta vez  já não na margem sul (pois se bem nos lembramos "Margem Sul jamais"). Começámos a semana com um trapalhada entre o ministério de Vítor Gaspar e o de Álvaro Santos Pereira, onde um dizia que era já apartir de 2014....o outro dizia que era entre 2014 e 2020. Depois da confusão inicial veio a  certeza absoluta de que terámos um financiamento de 85% do projecto TGV. Com estas noticias já se podia dizer que temos luz ao fundo do túnel, que tudo ia melhorar. Eis que a "tragédia" acontece...a Comissão Europeia diz que não está a par das novas decisões do TGV. Pode então dizer-se que realmente já temos luz ao fundo do túnel...é pois um TGV em sentido contrário....




segunda-feira, 4 de fevereiro de 2013

Franquelim Alves, o empreendedor


O fim-de-semana que agora termina assistiu às ondas de choque causadas pela tomada de posse de Franquelim Alves, figura ligada à cúpula do BPN, para o cargo de secretário de Estado da Empreendedorismo, Competitividade e Inovação. De Manuel Alegre à esquerda parlamentar representada pelo PCP e BE, a oposição mostrou de forma unânime a sua indignação perante um episódio que provocou também alguma comichão no CDS-PP. Uma fonte da direção sem nome, sem rosto, mas com direito a declarações em discurso direto, diz-se «incrédula» com a escolha feita por Pedro Passos Coelho. Na verdade, falar de incredulidade é muito pouco quando o país constata que os responsáveis pelo saque ao contribuinte representado pelo caso BPN não só não são condenados, como continuam a ter lugar reservado no banquete do poder. É caso para dizer que o empreendedorismo de Oliveira e Costa, Dias Loureiro, Duarte Lima e outros que tais está a custar muito caro àqueles que, em Portugal. não podem fugir aos impostos.