Número total de visualizações de página

terça-feira, 19 de junho de 2012

Portugal à beira de um ataque de nervos


O povo português está à beira de um ataque de nervos. A famosa paciência lusitana está a esgotar-se a passos largos. Cortes nos subsídios, cortes no orçamento para a saúde com redução de serviços e encerramento da MAC mas com aumento das taxas moderadoras, a Educação vai igualmente a caminho da elitização que conduz à privatização, milhares de alunos que deixam de o ser por falta de meios económicos mas que também não conseguem ingressar no mercado de trabalho.
Os desempregados sentem-se criminalizados com a obrigação das apresentações quinzenais no Centro de Emprego, numa humilhante semelhança com os detidos com termo de identidade e residência.
São forçados também a frequentar acções de formação que não correspondem nem às suas escolhas nem às suas necessidades para o governo receber verbas europeias que ninguém vê aplicadas na solução do problema do desemprego e que provocam uma imensa revolta. Mais ainda se complica a situação quando o subsídio de desemprego acaba. Quem fala com estas pessoas ouve frequentemente expressões como "isto está uma panela de pressão" ou "isto está para explodir".
É de salientar que não são as manifestações/passeios de sábado pela Avenida da CGTP que dão vazão a toda esta pressão.
Os grupos sociais também não estão assim tão massivamente participados.
Então podemos apenas ficar alerta e olhar para o exemplo grego e, mais recentemente, para os mineiros espanhóis. Quanta paciência mais terão os portugueses para com os seus carrascos?
Os desempregados são um batalhão que cresce a olhos vistos em Portugal. Os números apontam para 1 280 000. Não pára de aumentar ao segundo. Os subsídios são cada vez mais escassos e mais curtos em duração. A fome aperta com a falta de meios de subsistência.
O descontentamento dos trabalhadores que se vêem usurpados nos seus direitos é geral e crescente.
Fica a dúvida se o elenco governamental estará consciente desta realidade. Se não estiver é grave, se estiver é mais grave ainda...
O Contra-Reaccionário, no seu papel, convida todos(as) a participar e levarem toda a sua força anímica para a manifestação de 30 de Junho. Juntem-se ao Contra-Reaccionário, ao MSE e ao 15O, entre outros que levarão a sua voz!

Sem comentários:

Enviar um comentário