Número total de visualizações de página

terça-feira, 5 de junho de 2012

O livro do desassossego...


deve estar na mesa de cabeceira de todo o elenco ministerial, muito em especial de Miguel Macedo e Miguel Relvas. Passa para Passos Coelho pelos cordelinhos. É que a julgar pelos acontecimentos de quinta-feira, dia 31 de Maio, frente à Igreja dos Anjos, em Lisboa, o desespero do executivo em dar mostras de força e despoletar manobras de intimidação estão em crescendo.
Quem presenciou o cerco junto à Igreja não pôde deixar de ficar atónito com a desproporção de ver 30 jovens sentados no chão, tocando música cercados por cerca de 80 elementos da polícia de intervenção. Várias pessoas naturalmente curiosas perante todo o aparato e indignadas ao verificar a agressividade na atitude dos agentes permaneceram olhando. Muitas delas acabaram empurradas para dentro do cerco pela polícia que continuava a chegar. Foi o exibir a técnica do “kettling”. Eram 8 carrinhas e 3 carros-patrulha.
O blog 5dias.net deu a notícia, apresentou fotos, vídeo, relatos. O site foi hackeado. Ficou indisponível várias horas. Ficou censurado. Uma página de facebook pessoal ficou suspensa.
O governo está a recorrer a formas indignas de uma democracia para calar as vozes discordantes.
Relvas é alvo de críticas dentro do próprio partido. Mas não se demite nem é demitido. A questão será o que se refere à boca pequena um pouco por toda a parte – Relvas é o verdadeiro primeiro-ministro e Passos Coelho o porta-voz. Logo, é mais complexo retirar o pilar do governo. Ainda assim, poderá o governo pretender continuar nesta condição e almejar a um mandato por inteiro?
Curiosamente, Paulo Portas parece nem pertencer ao governo. Há muito, dir-se-ia mesmo desde que tomaram posse, que Passos e Portas não são vistos lado a lado. Portas regressou às visitas pelas feiras. É caso para questionar se estará a treinar para uma nova campanha eleitoral.
Mesmo o Bloco de Esquerda, que enquanto oposição pouco se opõe, várias vezes falou em eleições antecipadas.
De momento, está a Europa de respiração suspensa aguardando as eleições gregas. As últimas sondagens dão o Syriza como vencedor e ficam em causa as políticas ultra-liberais e a austeridade imposta pelo eixo franco-alemão. Os governos temem o efeito contágio.
O Contra-Reaccionário apoia o Syriza, desejando boa sorte e deixa um pensamento: E em Portugal, quais serão os efeitos da mudança na Grécia?

1 comentário:

  1. ESTE PARTIDO DO psd é um partido Nazista e trafulha do pior que podia ter acontecido a Portugal

    ResponderEliminar