Número total de visualizações de página

sexta-feira, 8 de novembro de 2013

Um protesto "silencioso"

Antes de mais gostava de saudar a greve da função pública, pois é nestes momentos que devemos estar unidos e combater unidos o(s) inimigo(s) comum(ns), a troika e o governo. Mas o que também marca este dia é o protesto "silencioso" que tinha sido marcado para as galerias do parlamento hoje, esse protesto que de silencioso pouco teve, pois de protesto contra as politicas do governo, passou a aplauso (sim, aplauso!) ruidoso às politicas do governo para o sector e por inerência para todo o país.
Se antes podia haver alguma desconfiança quanto ao lado da barricada que a PSP - Polícia de Segurança Pública (Possivel confusão com PSD) ocupava, hoje ficou mais claro. O lado da barricada que a PSP, e as suas direcções, seja laborais seja sindicais, ocupam é o lado do governo, o lado da troika, o lado da pobreza e da morte lenta que acontece a milhares de pessoas neste país e pela europa fora.
Por certo deve haver polícias que estejam contra a politica do governo, que tenham as suas familias afectadas, mas a esses só é possível uma solução. Já que o seu desvinculamento da PSP iria provocar o seu desemprego, que numa situação destas seria complicado, o mínimo exigível é o seu desvinculamento desses sindicatos e a adopção de novos sindicatos que promovam uma luta séria contra as políticas que destroem o país, sem essa medida nunca terão o respeito de quem está contra estas políticas e nunca poderão almejar derrotar estas políticas.

Sem comentários:

Enviar um comentário